Emancipação feminina e equilíbrio nos relacionamentos

Vivemos em um momento de crise onde tudo está perdendo sentido e valor. O papel da mulher na sociedade mais uma vez vem sendo questionado. Com a pandemia e acúmulo de tarefas, a mulher moderna do século XX se sente culpada em não dar conta de tudo.

Mulheres buscam por independência, igualdade e estão percebendo que a necessidade de emancipação está causando rupturas, desequilíbrio e sofrimento. 

Nosso convite é para refletirmos e compreendermos que não precisamos mais nos comportarmos como homens ou provarmos que damos conta, para merecermos ser ouvidas.

Somos parte integrante e necessária nessa construção de conhecimento. A nova onda do feminismo não defende mais que somos iguais, e sim, que somos diferentes, mas temos direitos iguais de sermos respeitadas

Para assumirmos posições de liderança precisamos nos atentarmos a fatos históricos e cuidarmos do equilíbrio sistêmico das relações.

Na idade Média, onde o corpo e o desejo foram demonizados, a figura da mulher quando tenta ter voz e demonstrar seu conhecimento, é vista como bruxa ou representante do pecado. A mulher precisa ser um fenômeno para alcançar o respeito e ser aceita. Seguindo a história, encontramos o pensamento cartesiano, o que também não foi favorável à figura feminina, pois, ao partir o ser humano em coisa que pensa (razão) e coisa que sente (emoção), e localizar a inteligência na coisa que pensa (algo parecido com Platão), vê a mulher muito mais como um ser que sente/emoção do que um ser que pensa/razão, por isso, será dotada de menos capacidade de inteligência que o homem, naturalmente. Tal concepção fez o caminho na construção do pensamento moderno não ser um campo aberto para mulheres.” filósofa Thais Publio

Dentro deste contexto, mulheres se masculinizaram e deixaram de lado o belo, o feminino, a empatia, a flexibilidade, a presença, a colaboração, o compartilhamento, a capacidade de amar e ser amada, Esquecemos habilidades e características naturais e inerentes da energia da criação para competir por igualdade e pertencimento. 

Esta emancipação feminina vem causando desequilíbrio nos relacionamentos profissionais e familiares, gera sofrimento e falta de significado.

É urgente a necessidade da pausa para reflexão.

O convite é para falarmos sobre A Emancipação Feminina e o Equilíbrio nos relacionamento com Marie Suzuki Fujisawa, especialista em Relação Sistêmica e Doutora em Psicologia do Trabalho

Assista o webinário na íntegra abaixo.

Sobre a convidada: Marie Suzuki Fujisawa é esposa, mãe de 3 crianças vivas, doutora em Psicologia do Trabalho, mestre em Comunicações e autora do livro: “Das Amélias às mulheres multifuncionais”. Professora universitária desde 2001, hoje responde pela área educacional e institucional da Beauty Fair. Ama despertar o divino no maior número de pessoas por meio do trabalho de RELAÇÕES SISTÊMICAS.

Veja o que a Marie fala sobre relacionamentos: https://youtu.be/MadOyuuzLus

Este webinário foi um conteúdo extra integrante da terceira turma do Woman Leadership Academy.

O WLA é um treinamento de Liderança Feminina, Mindfulness e Inteligência Emocional para Equidade de Gênero. O programa Woman Leadership Academy é uma mentoria 100% online, com foco em capacitar e criar uma rede de líderes prontas para assumirem posições de liderança e impulsionarem suas carreiras executivas. Saiba mais e inscreva-se aqui.

Atualizado em

Comentários


Lígia Costa é empresária e especialista em planejamento.

LIGIA COSTA

Sou formada em Marketing pela Universidade Mackenzie, pós-graduada em Gestão Organizacional e em Relações Públicas pela Universidade de São Paulo (USP).

Saiba mais

Você está aqui porque acredita que hoje é o grande dia


É novo por aqui?

Faça parte do TGI Today