Autoconhecimento: por onde começar?

Autoconhecimento é termos a consciência de quem somos. Mas será que algum dia saberemos de tudo? Por que preciso me conhecer para ter alta performance no meu trabalho? Como saber onde quero chegar para desenhar meu plano de carreira?

Qual a importância de evidenciar meus pontos fortes? Será que meu talento pode se tornar uma profissão? Perguntas complexas, um mundo de indefinições.

Questionamentos e milhares de possibilidades. Preciso confessar que esse tal de “autoconhecimento” ainda me assusta.

Existe uma frase da Clarice Lispector que diz: “A vida é um poema em construção”. Essa frase me conforta. De uma certa forma, me tira do papel que me assombra e me traz para um fluxo de mais aceitação e menos exigência comigo mesma.

Sabe aquela sensação de obra que nunca acaba? Acho que deveríamos fazer uma plaquinha: “No momento, estou em obra”. Entender que estou em constante obra deixa tudo mais leve! Fica mais simples.

Se alguma coisa não faz sentido, é só revisar a planta, trocar o papel de parede. Desconstruir o espaço para colocá-lo em outro lugar e assim dia após dia.

O meu grande objetivo é poder moldar a minha melhor versão. Oferecer ao mundo um trabalho alinhado à minha missão mas, ao mesmo tempo, longe de ser a versão perfeita, porque ela estará sempre inacabada.

Nesse exato momento entra o autoconhecimento e inúmeras ferramentas que nos auxiliam a evoluir e nos ajudam a sermos pessoas melhores, profissionais plenos e felizes.

Dentro da minha experiência pessoal, acredito que o autoconhecimento não tem fórmula nem regras. Tudo que você fizer com a intenção em se conhecer melhor será sempre válido.

Você precisa estar disposto a olhar para si próprio e entender que é um caminho sem volta. O autoconhecimento está ligado à ampliação da consciência. E quanto mais consciente e desperto, mais conectado à sua essência, suas verdades e valores você estará.

Por outro lado, quanto mais estudo, percebo que sei muito pouco frente a tanta sabedoria que ainda está por vir. Eu adoro uma expressão americana que diz: “Let’s make a long story short”. Ou seja, vamos simplificar e fazer de algo que pode ser um bicho de sete cabeças algo prazeroso e útil.

Autoconhecimento: por onde começar para liderar sua carreira?

Vou trazer para você alguns temas, como um glossário do mundo do autoconhecimento. Assim você saberá escolher e desenhar sua visão de futuro. Imagine um gigante quebra-cabeça, onde cada ferramenta é uma peça e aos poucos você monta o todo.

No vídeo estão apenas duas perguntas (construímos um carrinho de Lego :D), mas você pode conferir e aplicar todas as outras dicas na sua vida se quiser (e construir um parque de diversões!).

1) Descubra seus valores

Satisfação no trabalho está muito ligada ao nosso alinhamento pessoal de valores.

Quando atuamos nos nossos valores, tendemos a nos sentir mais energizados e satisfeitos. Valores são as convicções, condutas e atitudes que nos servem de guia na vida.

Cada pessoa possui valores individuais e intransferíveis, que são formados desde a infância. Nossos valores estão atrelados a uma escala pessoal de hierarquia de prioridades e importância.

Muitas vezes costuma-se conectar valores com ações e por isso se iniciam com verbos. Por exemplo:

Valor: Família → Ação: Ser um bom pai
Valor: Otimismo → Ação: ter uma mente aberta
Valor: Prosperidade → Ação: receber um bom salário
Valor: confiança → Ação: ser íntegro.

Responda à pergunta: Quais os seus principais valores no trabalho e como eles se traduzem em ação?

2) Saiba seus fatores motivacionais

Segundo a teoria de Maslow, ter progresso e reconhecimento no trabalho melhora a nossa estima. No topo dessa pirâmide está a autorrealização. Consigo enxergar oportunidades de crescimento e me sinto no lugar certo, motivado, querendo fazer o meu melhor e dar o próximo passo.

Os fatores motivacionais podem ser diversos, depende de pessoa para pessoa. Conquista na realização de um grande projeto. Ser reconhecido pela sua contribuição, assumir novas responsabilidades.

Premiação, salário, falar em público, assumir o risco de um grande desafio, aprender, poder fazer escolhas, participar de decisões ou comemorar metas.

Responda à pergunta: O que te motiva acordar todos os dias e ir ao seu trabalho?

3) Conheça seus interesses

Quando estamos falando de nos conhecer melhor para sermos capazes de desenharmos nosso plano de carreira, é importante olharmos também para os nossos interesses.

Eu acredito que o ponto central da carreira, segundo (BMY – business model you) é quando você reconhece seus interesses, sua personalidade, competências e habilidades. Interesses são assuntos e temas que te empolgam, que você gosta.

Por exemplo: tenho interesse em temas científicos, tecnológicos, artísticos, humanitários, administrativos e analítico. Mas não significa que porque me interesso por temas humanitários me dedicarei 100% a ONGs ou projetos de paz.

Esse interesse me traz indícios do que faz sentido para mim e ao que eu devo me dedicar mais. Como participar de programas que melhorem a minha habilidade de auto reconhecimento: feedback, comunicação, gestão de conflitos.

Certamente, me tornarei melhor naquilo que eu me interessa, o qe gosto e me dedico. É mais empolgante e interessante.

Responda a pergunta: Você tem interesse em quê?

4) Evidencie seus pontos fortes

Martin Seligman, pai da psicologia positiva diz: “Você só alcançará excelência compreendendo e cultivando seus pontos fortes”. Valorizar aquilo que somos bons, o lado do que faz a vida e o trabalho valer a pena. Somos experts nas coisas ruins e fraquezas, doenças, mas muito pouco sobre força, saúde, alegria, felicidade e auto-realização. Saber melhor e conhecer nossos pontos fortes pode nos ajudar a planejarmos nossa carreira e construirmos nossas vidas em torno deles.

Responda a pergunta: Pelo que as pessoas te elogiam?

5) Treine suas habilidades e competências

Elas podem ser desenvolvidas ao longo da sua carreira para que você atinja suas ambições profissionais. Habilidade é saber fazer, é a capacidade de você treinar e aplicar o conhecimento para aprimorar a competência desejada.

Por exemplo, você quer aprimorar a competência de comunicação, podemos trabalhar diversas habilidades como: ser mais assertivo, falar melhor em público e estruturar o pensamento.

Responda a pergunta: Qual habilidade você poderia treinar para ser ainda mais reconhecido em sua profissão?

6) Valorize seus talentos

Talento são dons naturais. Aquilo que você já tem de fábrica. Já nascemos com aquele dom e, às vezes, é tão natural que nem o determinamos como sendo diferente ou um talento especial.

A forma mais fácil de enxergarmos claramente é quando vemos artistas. Uma bela voz, um pintor, um jogador de futebol. Aquelas pessoas que, quando a gente olha, logo pensa: ela não poderia fazer outra coisa, tem um talento, um dom incrível.

Talentos não são só para artistas, todos nós temos. São evidenciados muitas vezes pela nossa reação espontânea. Para identificar seus talentos, você precisa mudar o modo como olha para si mesmo. Monitore suas reações espontâneas e imediatas com a situação que se depara.

Responda a pergunta: O que você faz que é só seu?

“Quanto mais você descobrir e tiver clareza sobre os seus interesse, talentos, valores motivacionais, pontos fortes, interesses e competências, maior visibilidade das suas ambições e visão de futuro você em relação ao seu plano de carreira você terá!” – Ligia Costa

7) Ouça o seu coração

O importante é você se conhecer. Se você estiver em crise existencial, não tenha medo de pedir ajuda, ir ao divã do psicanalista, fazer terapia alternativa. Ou terapias holísticas, cursos de programação neurolinguística, sessões de coaching, mapa astral.

Até conversar com amigos, pedir palpite para a tia do café… Enfim, não existe certo nem errado, o importante é você descobrir qual ferramenta faz sentido para você.

8) Pratique mindfulness

Espiritualidade, práticas de meditação, práticas de yoga, arte ou realização de um hobbie. Práticas esportivas, estar próximo da natureza, silenciar… Tudo isso vai ajudar você a ouvir seus desejos.

Descubra que o segredo é deixar o ego de lado e passar a ouvir suas necessidades do coração.


Leia mais

Do ego ao eco: a consciência de si como motor de mudança

Mindfulness e inteligência emocional para executivos


Eu acredito que cada um de nós tem uma grande missão e o primeiro passo é sermos protagonistas da nossa história.

Liderarmos nossa carreira e termos trabalhos com significado. Eu acredito que cada um de nós tem a grande oportunidade de ser o motor de transformação do nosso mundo.

Temos a obrigação de vivermos com qualidade de vida e sermos felizes. E tudo começa com o autoconhecimento e consciência de quem somos e a coragem de trazermos para o mundo a nossa melhor expressão!

Bem vindo ao hoje!


Prática de mindfulness gratuita do TGI Today! Acesse agora!

Gostou? Então comente, compartilhe e ative as notificações clicando no sininho ali no canto para receber novos textos em primeira mão no seu e-mail. Você também pode fazer parte da nossa lista VIP do WhatsApp! Mande “Sou VIP” para o número +55 11 99819-2758 e tenha no seu celular as novidades do TGI Today!

HUGS & KISSES

Ligia Costa

Atualizado em

Comentários


Lígia Costa é empresária e especialista em planejamento.

LIGIA COSTA

Sou formada em Marketing pela Universidade Mackenzie, pós-graduada em Gestão Organizacional e em Relações Públicas pela Universidade de São Paulo (USP).

Saiba mais

Você está aqui porque acredita que hoje é o grande dia


É novo por aqui?

Faça parte do TGI Today